como aprender marketing?

Fazendo.  Acredito que como tudo na vida.  

Faça aos finais de semana, no seu tempo livre, seja voluntário em uma ong qualquer.  Vá trabalhar com venda de limonadas infantis.

Uma vez que você coloque suas idéias em prática você verá se elas são reais… 

Não custa nada, só assusta um pouco.

primeiro, conecte-se

nessa economia conectada, existe uma divisão entre dois tipos de projetos.  aqueles que tem sucesso em criar conexões e os que não tem.

a internet é uma máquina de conexões.  todos esses projetos (facebook, mercadolivre, ebay, messenger e chats, email, fóruns, etc) criam conexões entre pessoas que antes, não existiam ou eram, pelo menos, muito mais difíceis.

quando você nos diz sobre sua empresa, seja ela qual for, primeiro diga como ela nos ajudará a conectar-mos uns com os outros, o resto caminhará por si só

camisetas fluminense

camisetas fluminense

A Adidas lançou uma camiseta promocional, comemorativa aos 40.178 dias de história do Fluminense. A promoção foi um sucesso e como, nós, torcedores de futebol não somos exatamente racionais, os do Flu saíram comprando adoidados.

Acontece que o Globo Esporte noticiou a ação e descobriu que existem 03 camisetas de número 00.001, ou seja, não são mais exclusivas.

Muito inteligentemente a Adidas assumiu o erro, explicou que, por algum motivo, protótipos foram colocados a venda e irá recomprar as camisetas por R$2.500. O valor muito acima do de mercado cumpre o papel do pedido de desculpas.

Parabéns a Adidas, afinal, todo mundo erra mas, assumir o erro é para poucos.

Jogo Moleque

A Coca-Cola tinha um problema. Não vendia quase nada nas comunidades carentes. É sabido que o mercado era (ou ainda é) dominado pelas chamadas marcas talibãs (aquelas com táticas de guerrilha ou, simplesmente, cópias de má qualidade com preços muito abaixo da média).

Como a Coca-Cola quis mudar isso começou, algum tempo atrás (talvez uns dois anos) a olhar para esse mercado. Eu mesmo participei do planejamento e organização de algumas dessas ações. Eram campeonatos de futebol, distribuição de gifts, enfim, todo aquele oba-oba que estamos acostumados (mas talvez não o pessoal das comunidades).

Depois começaram com algumas ações puramente sociais, divulgando o nome e, agora, coroam com um comercial bem bacana, futebol moleque. Segue o vídeo, vale a pena conferir

04 soluções interessantes adotadas pela Leroy Merlin para diminuir as filas

1. mais gente mais caixas
para encurtar a espera, a LM criou uma fila única para todos os caixas e começou a testar um caixa móvel, que é montado apenas nos horári

os de pico e recebe compras de até dez volumes. o atendimento ficou 20% mais rápido nas lojas que tem esse sistema

2. não vale empurrar o que o cliente não quer
os funcionários da LM não recebem comissão individual (o governo podia fazer isso com a polícia militar em relação as multas), o que evita que empurrem ítens indesejados. a idéia é que o cliente chegue à loja, compre o que precisa e saia rapidamente. a agilidade, acredita a empresa, estimula o retorno

3. a fila não é para todos
ao comprar produtos que são entregues em casa pela LM, como pisos e louças, o cliente não precisa mais fazer fila no caixa. ele paga e agenda a data da entrega com o próprio funcionário da seção -que trabalha com uma máquina de cartão de crédito

4. compra sem sair do carro
para atender profissionais como pintores e pedreiros, que passam na loja antes do trabalho, a LM criou um drive thru, como nas lanchonetes. Ele abre mais cedo que a loja e permite ao cliente estacionar ao lado do caixa para carregar itens como madeiras e tubos.

Imagem
 

o que é marketing?

O QUE É MARKETING?

Essa é uma pergunta que eu sempre ouço em palestras, de clientes, e de todo mundo que tem coragem de admitir que não sabe, exatamente, o que é marketing. Eu poderia recorrer aos teóricos (que confesso, não gosto muito pois dificilmente saem de seu escritório para ver, de fato, o mercado), mas eles diriam algo do tipo. “Marketing é uma função organizacional e uma coleção de pro

cessos para criar, comunicar e entregar valor para os consumidores, e para gerenciar as relações com os clientes de forma a gerar benefícios para a companhia e seus stakeholders” (AMA- American Marketing Association).

Prefiro, no entanto, reccorer a um cara chamado Sérgio Zyman, esse sim um excelente profissional de marketing que diz o seguinte: Marketing trata de vender mais, para mais pessoas e com maior frequência.

A primeira vez que disse isso, a resposta de uma cliente, gerente de marketing de uma grande empresa não foi nada boa. Me acusou de querer enganar o consumidor, de me preocupar mais com as vendas do que com o que mais importava. Passado o meu susto inicial, perguntei a ela: “-o que mais importa em uma empresa do que as vendas? por que existe uma empresa, senão para vender algo a alguém?” e, de bate pronto ela disse: a confiança.

Então eu repeti a frase para que ela, finalmente, entendesse. Marketing trata de vender mais (hoje eu vendo 10, quero vender 100), para mais pessoas (se meu público atual é de 10 pessoas, quero que passe para 100) e com maior frequência (se eu fosse enganar alguém, como o faria comprar de novo, e de novo, e de novo…?).

E a reação dessa profissional não é um caso isolado. Muita gente (empresas e agências inclusive) pensam como ela. Ainda acham que vendas é responsabilidade do departamento comercial. Eu digo que não. Digo que vendas (e marketing) está presente em absolutamente todos os departamentos. Dos seguranças (afinal, ninguém faria compras se pudesse ser assaltado no local), à equipe de limpeza, do presidente, dos advogados, enfim tudo é vendas. 

E a sua agência precisa saber disso. Como eu disse certa vez para um criativo. Quer vender arte? Vá para uma galeria. Aqui precisamos vender nossos clientes.

a função do marketing

Só para reforçar a minha opinião pessoal (que ódio que não fui eu quem criei essa frase e sim o Sérgio Zyman (ou Andy Law?) xiiii … memória não tenho mais … sobrou uma vaga lembrança.

Enfim, compartilho 100% dessa definição.

marketing trata de vender mais, para mais pessoas e com maior frequência.

Antes que você considere isso como uma estratégia de enganar o consumidor, leia a frase novamente.

Vender mais
Para mais pessoas
(se eu engano o consumidor, não consigo maior abrangência).
E com maior frequência (de novo, se eu engano o consumidor, como ele continuará comprando de mim?)

Outro dia um profissional de marketing que eu respeito disse que essa definição faz parecer que tudo é vendas.  Eu pergunto.  O que não trata de vendas?

Cito mais uma vez um brilhante mestre que eu tive.  O melhor profissional de vendas com quem tive o prazer de trabalhar … ou seria .. estudar?  Sr. Tadeu Fernandes.  Duvido que ele me leia mas .. ele me achou 05 anos depois de ter trabalhdo comigo, para novamente me contratar, vai saber… enfim, ele disse certa vez para uma funcionária que estava reclamando de um cliente (não que cliente tenha sempre razão mas….), ele disse:

você está vendo essa lâmpada? -apontando para o teto do escritório. Você está vendo essa gravata? Esse gaveteiro? Esse motoboy? Esse narigudo que fica pra cima e pra baixo enchendo o saco (esse era eu). E ele continuou.  Tudo que está aqui, todos que estão aqui, todos nós, estamos por causa do cliente.  Se não existisse ele, não existiria mais nada, você, eu, ele, tudo isso seria … inútil.

Ouso citá-lo para dizer.  O marketing trata de vendas (aliás, se olhar a morfologia da palavra fica ainda mais evidente).  O departamento de projetos trata de vendas.  Os seguranças das lojas, tratam de vendas (se não fosse um local seguro, nenhum cliente iria). Tudo é vendas. O que não significa que vender justifique burlar processos, ser desonesto.  Mas tudo, do computador que estou usando agora, ao celular, ao telefonema que fiz 05 minutos atrás… tudo trata de vendas (ok, ok, existe a vida pessoal, mas não é disso que estou falando).

Enfim … eis, mais uma vez, minha visão (“roubada” -aliás, aprendida, sobre o marketing).

 

ps: por que você acha que as empresas pagam mais por certos profissionais? porque eles trazem mais resultados.  se não diretamente relacionados a vendas, certamente, resultados que permitam a empresa vender mais.