starbucks coloca realidade aumentada no natal

do BrainStorm #9
Você sempre soube que o Natal estava chegando quando via panettone nas prateleiras dos supermercados, e que aliás, aparecem cada vez mais cedo. Para os americanos, o indicativo é quando surge, de um dia pro outro, os copos temáticos da Starbucks – e no Brasil também, desde 2006.

Nesse ano, a rede resolveu colocar um pouco de tecnologia nesses copos. Com um aplicativo para iOS e Android, será possível interagir com realidade aumentada. Cada copo terá uma animação diferente.

O app também poderá ser utilizado dentro da loja, com a possibilidade de encontrar ofertas especiais. A brincadeira começa no dia 15 de novembro, e não sei se também chega no Brasil.

 

por falar em globalização … alguém ainda fala nisso?

Ok, ok, o assunto é mais velho que meu vô, mas tem muito diretor de multinacional que não se ligou nisso ainda.  Para eles, que deveriam ler esse artigo aqui e aplicar as suas vidas de diretores.

Enfim.  Estava vendo o Mundo do Marketing, site que fala de Marketing e traz frequentemente uma newsletter sobre o assunto, abordar a Starbucks, mundialmente conhecida rede de cafés.  No Brasil, sucesso total, lojas cheias, preços extra-premium por um café de gosto … particular, há quem goste, há quem prefira outros tipos mas enfim, não quero entrar, aqui, neste mérito.

A grande questão aqui é a seguinte.  Enquanto no Brasil a Starbucks comemora seus 02 anos de vida e colhe os louros da vitória, nos U S and A, eles vão de mal a pior.  Motivo:  perderam suas raízes.  Inovaram pro lado errado.  Aquele aroma agradável do café, segundo seus consumidores foi substituído pelo cheiro de baicon e refeições quentes das lanchonetes de fast food.  “Tudo para atingir um novo público segundo o diretor de marketing”.

Cagada feita, cagada assumida, já estão correndo atrás do prejuízo e voltando as raízes.  Mas, todavia, porém, contudo, aqueles diretores de marketing, que cuspiam globalização alguns anos atrás, e hoje não falam mais o termo por estar demodé, mas o interiorizaram de tal forma que tá difícil tirar, acham que por que uma empresa está em uma  situação em um determinado local ela, automaticamente, está na mesma situação em outro.

Dane-se o mercado daquele país, não importa a empresa (seus colaboradores, fornecedores, parceiros), o que importa é a situação da matriz e, por isso aplicam a mesma estratégia da matriz para todas as suas filiais.  Ledo engano.  Enquanto isso continuar, outras empresas, mais ágeis, continuarão … tomando cafézinho.

_tco