gênios são gênios

Eu sou um pouco contrar esses gurus (seja de qual disciplina que ele for).  Penso que eles são muito teóricos e que, invariavelmente, a prática é bem diferente da teoria.

Mas é inegável que muito da prática se começa na teoria, por isso eu sou um pouco contra tais gurus e não totalmente.

Um dos que fogem a regra, pelo menos para mim é o Seth Godin.  Ele é um guru de marketing mas que, além de teoria consegue desenvolver soluções práticas.  Um ou dois anos atrás ele fez uma proposta para uma série de pessoas e eu fui um dos escolhidos (não faço a menor idéia do porquê mas).

A proposta era a seguinte:  Não façam MBA.  Venham trabalhar comigo por um ano, receberão pouco mas aprenderão 100x mais do que no curso.

Eu não tenho a menor dúvida de que isso é verdade, até fiz um post na ocasião.  Uma outra tendência refere-se aos currículos e está aqui:

Can I see your body of work?

Are you leaving behind an easily found trail of accomplishment?

Few people are interested in your resume any more. Plenty are interested in what you’ve done.

The second thing you’ll need to do is regularly note what you produce in a log or find some other way to keep track.

The first thing is more difficult: If the work you do isn’t worth collating and highlighting, you probably need to be doing better work.

 

Me faz pensar bastante… e a você?

Tomás

it’s (always) too soon to know for sure (seth godin)

Para quem não conhece, esse cara é um “criativo” do marketing.  Um dos melhores profissionais de marketing que eu tenho notícias, sempre vale a pena ler.

The cost of being first is higher than it’s ever been…

It’s entirely possible that you’re racing.

Racing to the market with a new product or a news story or a decision or an innovation. The race keeps getting faster, doesn’t it?

If you’re racing, you better figure out what to do about the times that you don’t know for sure…because more and more of your inputs are going to be tenuous, speculative and possibly wrong. Day traders have always understood this–all they do is trade on uncertainty. But you, too, if you’re racing, are going to have to make decisions on less than perfect information.

Given that fact, what are you going to do about it? I think it’s worth a few cycles of your time.

Is it smart to blog on a rumor?

Worth dropping everything and panicking because of a news alert?

Should you hire someone based on information you’re not sure of?

What about changing your website (your pricing, your layout…) based on analytics that might not be absolutely correct? How long are you willing to wait?

Given that you will never know everything for sure (unless you’re opting out of the race), some of the issues are:

What’s the cost of waiting one more day?
Are you waiting (or not waiting) because of the cost of being wrong, or because loud people are yelling at you?
Is the risk of being wrong unreasonably amplified by part of the market or your team? What if you ignore them and focus on customers that matter?
And have you thought about the costs of waiting too long? If you don’t, you’ll probably end up last.
Have you noticed how often stock analysts quoted in the news are wrong? Wrong about new products, wrong about management decisions, wrong about the future of a company? In fact, they’re almost always first and almost always wrong.

Rule of thumb: being first helps in the short run. Being a little more right than the masses ultimately pays off in the long run. Being last is the worst of all three.

A few people care a lot about scoops. Most of us, though, care about alert people making insightful decisions. Decide who you’re trying to please, then ship.

dá pra confiar?… o retorno

Tempos atrás escrevi esse post.  Ele fala sobre alguns dados que são, no mínimo, dúbios a respeito do mercado de forma geral.

Capa da Folha de Hoje.  Petrobrás anuncia pacote de investimentos recorde.  Mais de US$170bi até 2013.  Pelo amor de Deus, não estou acusando a Folha de São Paulo de nada.

Mas um leitor mais atento pode pensar.  Crise por todos os lados, todos os tipos de empresas mandando todo mundo que podem embora.  A outra anunciou mais de 10mil demissões ao redor do globo ontem.  Bancos pedindo pinico, montadoras, desmontando.  E a Petrobrás anunciando caminhões de dinheiro de investimento?

Como todo otimista eu sempre acredito que na crise é que precisamos investir, ou ser mais ousados, ou, como eu ouvi ontem de um famoso dono de agência de propaganda.  “o segredo do meu sucesso?  acidente na pista eu acelero”.  Daí a ver essa notícia, penso em duas possibilidades:
– Petrobrás querendo reverter os “equívocos” do ano passado e recuperar terreno perdido
– Nosso querido esquerdista querendo manter a idéia de: aqui sentiremos apenas uma marola?

Obrigado Melissinha

Obrigado Melissinha

mera coincidência??

Mestre Cava. Obrigado por esse post. Tive que comê-lo.

Não sei se de fato essa é uma história verdadeira (apesar de ter muitas referências na internet), mas de qualquer forma serve para ilustrar meu ponto.

Certa vez cientistas (vamos dizer que são de Standford, sempre gostei de Stanford) colocaram 4 macacos em uma jaula (tem versão com 5, mas estou divagando…) com uma mesa no centro e pendurado em cima dessa mesa foi colocado um cacho de bananas.

Ao se depararem com as bananas, um dos macacos subia na mesa para alcançar o cacho. Ao fazer isso, ele (e os demais macacos) era surpreendido por um jato de água fria.

A situação se repete algumas vezes até os macacos sacarem que se alguém for tentar pegar o cacho de bananas vai tomar um banho de água fria. Depois de um tempo nenhum deles tenta mais pegar os cachos, mesmo com fome.

Agora vem a parte interessante da história:

Após esse período em que os macacos “aprenderam a lição”, os cientistas trocaram um dos macacos. Este ao ver o cacho de bananas corre para subir na mesa. Ao fazer isso é impedido e surrado pelos seus colegas macacos. Isso acontece mais algumas vezes e após “aprender” a lição os cientistas trocam mais um dos macacos.

O novo macaco, assim como o primeiro também vê os cacho de bananas e tenta pegá-lo. Assim como o primeiro, também é impedido e surrado e vejam só, entusiasticamente pelo seu predecessor

macaco

Os macacos são trocados sucessivamente até que nenhum dos animais que participaram da experiência original está na jaula. Nenhum levou um banho de água fria mas mesmo assim nenhum deles se aventura a tentar alcançar o cacho de bananas.

É engraçado como certos comportamentos e atitudes são rapidamente justificados como “Cultura”. Daí isso se torna algo intocável e não negociável em que qualquer argumentação esbarra-se no “aqui foi sempre assim”.

Vale sempre nos perguntarmos se de fato isso é Cultura ou um mero cacho de bananas.

não, obrigado

 

nao obrigado

É engraçado como aumenta a quantidade de agências de propaganda que dizem não atender marcas de bebidas e cigarros.  É claro, afinal de contas, se eu não tenho a menor condição de pegar uma dessas contas (que são gigantes) eu digo isso.  Duvido que a Souza Cruz, ou Philip Morris, ou a Ambev quisessem trabalhar com uma dessas agências, é absurdo.

Como diria um amigo meu.  Eu não namoro top models.  Gisele, por favor, não insista.

Faça-me o favor.