anúncios de pesquisa dinâmicas do google

Muito interessante essa nova ferramenta do Google mas… me lembra das aulas de história quando os artesãos franceses comemoraram uma máquina de tear que reduzia o trabalho deles.  Agora eles tinham mais tempo para outras coisas.

Sabidamente, algum tempo depois, as máquinas faziam todo o trabalho, ninguém mais precisava do artesão.

Na história recente existem dezenas de outros exemplos semelhantes.  Cobradores de ônibus, garis, o antigo pessoal de tráfego das agências, aquela quantidade de pessoas para fazer fotolitos, entre outros….

Gerenciadores de link patrocinados.  Vocês vão comemorar ou, procurar outra coisa para fazer?

O que os Anúncios de Pesquisa Dinâmicos podem representar para gestores de contas no Google AdWords?

– Ainda mantido em fase beta em todos os países e idiomas, os Anúncios de Pesquisa Dinâmicos prometem inovar a gestão de Links Patrocinados do Google AdWords. Este formato é interessante para os gestores de contas já que elimina a tarefa de escolher palavras-chave relevantes, e a criação de um anúncio para cada uma das Páginas de Destino.

– O padrão de anúncios de Links Patrocinados a que estamos acostumados está amparado na necessidade da escolha de palavras-chave para acionarem os anúncios. Os Anúncios de Pesquisa Dinâmicos, porém, dispensam o uso de tais palavras-chave. O Google AdWords analisa o conteúdo da Página de Destino, e associa as palavras-chave, automatizando todo o processo. Isto descarta a necessidade de se criar um Link Patrocinadopara cada página do seu website, já que o Google AdWords exibe o anúncio em resposta às pesquisas dos usuários, assim como acontece na busca orgânica. É exatamente isso: o Google AdWords gera dinamicamente um Link Patrocinado, escolhendo para você um título que inclua as palavras-chave relevantes utilizadas pelo internauta e relacionadas ao conteúdo da Página de Destino. A exibição da URL também fica por conta do Google AdWords, dispensando o anunciante de se preocupar com isso. Excetuando-se o título do anúncio e a URL, o restante do Link Patrocinado é baseado no que o anunciante definiu quando criou ou editou a sua campanha.

– O que se exige dos anunciantes é informar ao Google AdWords se quer que todo o seu site seja anunciado nosLinks Patrocinados. Caso não, o anunciante precisará especificar quais páginas do seu website deseja anunciar. Além disso, precisa definir o valor que está disposto a pagar pelos cliques recebidos. O Google AdWords passa a rastrear o site para avaliar quaisquer mudanças que foram efetuadas, tal como o preço do produto ou serviço, ou com respeito a disponibilidade de estoque. O sistema não trabalha com base no uso de cache, como ocorre com a busca orgânica. Teoricamente, a resposta com anúncios relevantes pode acontecer de forma mais rápida do que alterações realizadas manualmente.

– Caso ocorrer um choque entre os anúncios tradicionais utilizados pelos gestores e os Anúncios de Pesquisa Dinâmicos, o Google AdWords prioriza os anúncios que foram criados manualmente. De modo que, se o anunciante já tiver uma campanha que vise um termo de pesquisa específico, os Anúncios de Pesquisa Dinâmicos não se sobreporão a ela, já que são complementares, e não concorrentes.

– O Google AdWords fornece relatórios detalhados sobre os resultados alcançados pelos seus Anúncios de Pesquisa Dinâmicos. Entre os dados colhidos e apresentados estão quais termos de pesquisa acionaram osLinks Patrocinados, quais foram as Páginas de Destino associadas com tais termos, valores gastos com CPC(Custo Por Clique), cliques e conversões. De posse destas informações, os consultores de Links Patrocinadospodem decidir realizar alterações em suas Páginas de Destino, alterando palavras-chave no site, o que dará aoGoogle AdWords um novo leque de opções de palavras para chamar o anúncio. Além disso, podem alterar a qualquer momento os seus lances de CPC.

– A opção pode ser ativada ao se criar uma nova campanha, na seção Extensões de Anúncios, selecionando a caixa apropriada.

Anúncios de Pesquisa Dinâmicos Automatizam o Processo de Escolha de Palavras-Chave e Geração de Anúncios

– Entre os que já testaram este novo modelo de anúncios do Google AdWords, alguns afirmaram ter notado aumento de 5% a 10% nas conversões obtidas. Consultores de Links Patrocinados que gerenciam contas com milhares e talvez milhões de palavras-chave podem achar especialmente interessante o dinamismo oferecido por este formato de se anunciar no Google AdWords. Automatização de processos, e otimização do seu precioso tempo.

– Está interessado em participar deste programa de testes dos Anúncios de Pesquisa Dinâmicos? Para isto, basta solicitar participação na lista de interessados neste LINK.

Post retirado do site:
http://www.clinks.com.br/o-que-sao-anuncios-de-pesquisa-dinamicos-do-google-adwords/

explicando as mídias sociais

peguei essa foto da internet, não sei quem é o autor.  autoridades, por favor não me prendam por isso

google alega não ter autorizado pagamento a blogueiros para promover o chrome

Nos últimos dias circulam na rede denúncias de que blogueiros teriam sido pagos para falar bem sobre o navegador Chrome, do Google. Segundo Danny Sullivan, do Search Engine Land, até o dia 2 de janeiro já eram mais de 400 posts promovendo o navegador e acompanhados da declaraçao “patrocinado pelo Google” (!) A empresa se defendeu dizendo que essa foi uma açao nao autorizada, realizada por suas agências de propaganda, que “prontamente assumiram o erro” ; e pediram desculpas. O Google se comprometeu a diminuir o ranking do site google.com/chrome por 60 dias, como forma de compensar a ‘engorda’ de ranking comprada com blogueiros. Ainda assim… Com informaçoes do Gawker e SearchEngine Land. 04/01 Jacqueline Lafloufa

ai …. vem novidade do google por aí.

Da redação do AdNews, vem a reportagem abaixo.

Mais abaixo tem um vídeo explicando o que exatamente faz a empresa que o Google comprou.  Sem dúvida nenhuma que é um produto fantástico, fabuloso, revolucionário mas … eu fico imaginando quanto tempo que um usuário convencional precisará praticar para que essa novidade deixe de ser um empecilho para ser algo, de fato, útil.

O usuário convencional não migra para a plataforma macintosh pois terá uma semana de trabalho para se acostumar (sem fazer apologia a apple, o windows 7 é muito bom).  Minha mãe, que comprou um computador novo e veio com windows VISTA (veja bem, VISTA, não 7, VISTA) está tendo inúmeras dificuldades.  Bom, pelo menos a nova geração não deverá sofrer.

Segue a reportagem:

O controle do desktop em um ambiente totalmente 3D é a proposta da BumpTop. A empresa foi comprada pelo Google, no último domingo (2). Com a aquisição, as versões do BumpTop não estarão mais disponíveis para venda, as atualizações também deixarão de existir. O gigante das buscas manterá apenas a versão gratuita disponível por uma semana.

“Ele modifica todo o espaço e cria uma sala em perspectiva, oferecendo mais espaço para organizar todos os itens em uma área mais bonita e divertida que a original” informava o site da companhia.

A aquisição dá ao Google acesso a tecnologia da interface 3D e multi-touch (com capacidade de até cinco dedos), que poderá equipar o Chrome OS, e até mesmo, fornecer uma interface aprimorada para o futuro tablet da empresa.

A BumpTop exibe agora em seu site uma nota exaltando as conquistas da empresa e a aquisição feita pelo Google.

Murdoch vai parar o Google? Será?

O magnata da comunicação Rupert Murdoch deu nesta semana início a mais um capítulo na briga contra mecanismos de buscas e a publicação de conteúdo gratuito na internet. Em defesa de que o material disponível no mundo online seja pago, o dono da News Corp desafiou o Google e outros players do mundo virtual, a quem acusou de roubar o jornalismo de meios tradicionais: “Eu vou fazer o Google parar de pegar nossas notícias de graça… existe uma lei de direitos autorais e eles reconhecem isso”. A declaração de Murdoch foi dada em um evento do Clube Nacional de Imprensa da Universidade George Washington. Na ocasião, repleta de jornalistas, estudantes e profissionais de mídia, o empresário disse que a indústria do jornal teve de se levantar por si mesma e cobrar por conteúdo, usando a lei de copyright para defender seu jornalismo de ser usado sem permissão. Na contramão das críticas, o poderoso chefão da mídia elogiou o iPad, tablet recentemente lançado pela Apple e o classificou como um possível salvador da indústria do papel, em queda sistemática mundo afora. De acordo com o jornal The Guardian, Murdoch disse que os motores de busca tinham encontrado um “rio de ouro”, através da agregação de conteúdo, mas que os dias de notícia livre chegarão ao fim. “Eles usam o conteúdo de graça. Eles têm esse modelo de negócio muito inteligente”, disse. Em junho, os títulos britânicos de Murdoch, o Times e o Sunday Times vão se juntar ao Wall Street Journal e cobrar pela leitura de conteúdo. No entanto, alguns críticos dizem que os consumidores já estão acostumados a acessar conteúdos online de graça e não vão pagar por assinaturas em grande número, pelo menos suficiente para formar um modelo de negócio viável para o jornalismo de qualidade. Murdoch questionou este medo, dizendo que os consumidores poderiam ser forçados a mudar seus hábitos. “Quando eles não tiverem mais para onde ir eles vão começar a pagar, se for razoável. Ninguém vai pedir um monte de dinheiro”, disse ele. O chefe da NewsCorp também atacou o jornal The New York Times dizendo que seus planos de conteúdo pago deveriam ser mais restritivos. Os defensores dos sites de jornais gratuitos freqüentemente acusam Murdoch de ser um tecnofóbico, mas o magnata da mídia australiano se disse feliz em abraçar o iPad, lançado no último sábado. Durante a entrevista, com o jornalista Marvin Kalb, ele pegou um aparelho para demonstrar como navegar no site do jornal. Murdoch disse que o iPad poderia ser o salvador do jornalismo, embora o formato eletrônico não imprima. “Eu vislumbrei o futuro no último final de semana com o iPad. É uma coisa maravilhosa”, disse. “Se você tivesse menos jornais e mais destes … pode muito bem ser a salvação da indústria dos jornais.” Redação Adnews, com portal Terra

novas propagandas google

O Google começa a explorar novo tipo de propaganda.  Banners em tempo real nos seus resultados do Google Maps.

Anúncio do Yahoo!

Mas é claro, isso só funcionaria quando estivéssemos (nos EUA, no Brasil ainda demora) no chamado street view -aquele que mostra a visão real da rua, caso contrário o risco de se perder seria incrível (já que você está tão concentrado em manter-se no caminho certo que anúncios seriam horripilantes)… imagine a cena.

Você está dirigindo ouvindo aquela voz do GPS quando de repente, ela começa.  Vire a direita após o McDonalds, que tem sua promoção da hora, com incríveis sanduíches por metade do preço e o sundae….

RECALCULANDO ROTA

Continue por um kilometro depois do shopping morumbi, que está com a promoção do lápis vermelho, nela você encontra 58 lojas com mais de 60% de desconto em todos os seus produtos…

RECALCULANDO ROTA

Tempo para chegar em casa é de 15 minutos, você passará por uma blockbuster, que tem trailers do AVATAR disponíveis, você não quer fazer uma noite blockbuster??  desliga o aparelho.

Tomás

google. aliado ou inimigo?

Hoje fui ver qual era o nome da minha seguradora. Nunca lembro. Claro que fui no google e digitei seguradoras de veículos.
Apareceu um bruta monte de coisas, claro. Só que o mais interessante foi que, para muitas o que aparecia era algum tipo de reclamação de clientes insatisfeitos.
Por isso pergunto. O google é amigo ou não de sua empresa?
Você sabe?

_tco

Email do Futuro

Da INFO online veio esse artigo.

Google Wave

O Google apresentou, durante a conferência para desenvolvedores I/O, o protótipo de um novo produto chamado Wave. Sem nenhuma modéstia, o gigante das buscas definiu seu projeto como “o e-mail do futuro”.

A expressão é de Lars Rasmussen – coordenador do Wave e um dos cérebros por trás do Google Maps –  que apresentou o aplicativo online como algo que  “vai transformar o e-mail numa ferramenta integrada de colaboração, comunicação e rede social”.

O Wave ainda não está disponível para testes dos usuários e uma versão beta é aguardada para qualquer momento “ainda este ano”.

Segundo a apresentação do Google, o serviço vai reunir numa só plataforma várias aplicações populares de web 2.0.

Ao fazer um login no Wave, você poderá ler seus e-mails, criar e editar arquivos em rich text, editar planilhas, publicar e compartilhar fotos, explorar ferramentas de chat e mensagens instantâneas, vídeos e mapas.

Todos estes recursos ficam disponíveis numa única interface e cada usuário deve adicionar os amigos que farão parte de sua “wave”, ou seja, poderão ver suas fotos, editar textos de forma colaborativa (múltiplos editores com o acesso a um único documento) e trocar mensagens.

O e-mail também passa a funcionar em tempo real, ou seja, entre duas pessoas trocando Gmail não há atraso para o recebimento da mensagem.

Rasmussen, no entanto, não deixou claro se será possível apenas ler mensagens do Gmail no Wave ou se a ferramenta suportará outros serviços de webmail. Mas a ideia do Google é deixar a plataforma aberta para receber o maior número de contribuições possível de desenvolvedores terceiros.

Um dos alvos do Google são as redes sociais. Se tiver sucesso em atrair parceiros, será possível ver fotos, textos e atualizações de perfil de várias redes tudo dentro do Wave.

Inicialmente, o orkut deve ser o primeiro serviço a ser integrado ao Wave. Mas a ideia do Google é atrair outros parceiros. As redes sociais mais desejadas são Facebook, MySpace e Twitter.

_tco

por que eles dominam (ou vão dominar) o mundo?

Aqui está mais uma (apenas mais uma) das razões.

http://www.adnews.com.br/internet.php?id=86775

Eles simplesmente criam as ferramentas mais fantásticas de todas e depois abrem seus códigos para que os desenvolvedores possam melhorá-las, deixando ainda mais fantásticas.  Enquanto as outras empresas brigam para protegê-las, perdem (ou ganham?) milhões com a pirataria, o google não tá nem aí … porque todas as suas ferramentas são de graça -ou online, que não dá, ainda, para piratear.

E enquanto todo mundo se pergunta como eles ganham dinheiro com isso, eles continuam enchendo seus bolsos até não poder mais (e, diga-se de passagem, tratando seus funcionários muito bem).

 

_tco

os curiosos resultados do google

Não quero questionar a importância do Google, pelo contrário, eu adoro o Google.  O marketing hoje, começa com um Google.

Eu já começo a dizendo isso pois vou comentar algumas observações que fiz no meu blog e  isso, certamente, irá gerar polêmica.

Olhando no painel de controle do meu blog, vejo que o google traz constantemente diversos internautas para as minhas páginas.  Eu tenho em média pouco mais de 100 visitantes diários, 10-15% deles trazidos pelas ferramentas de busca.  Olha que interessante. O cara digita lá: martelo e vai para o meu post de afie os machados.  Ou então viagem e vai para a nômade do skype.  Se preferir, temos o cara que digita álcool e vai para o santo paulo bar. Por favor, me interrompa quando a bizarrize atinjir o seu limite.

Não estou falando mal do google, repito.  Até porque por mais modernos que sejam seus robôs, não tem como o cara identificar tudo e, para evitar isso, antes do indivíduo clicar no meu blog ele tem uma prévia deste para poder pensar se isso tem ou não alguma relevância com o que ele quer.

Isso só me faz pensar em duas coisas:  1. Ou neguinho não faz a menor idéia do que está procurando e o Google responde qualquer coisa e o cara aceita.  2. Ou o cara sabe o que está procurando mas, no meio de sua busca perde completamente seu rumo inicial e começa a divagar pelas páginas da internet, o que leva a outra conclusão.  Até onde os mecanismos de buscas são realmente eficientes (sim, eles são) mas, como devemos controlar os nossos funcionários enquanto eles usam tais ferramentas. Porra, de novo aquele papo de controlar internet? PeloamordeDeus, vai começar com isso?

A pergunta é: como usar isso em vantagem da nossa (sua) empresa?

_tco