me faz um emkt frente e verso…

Sim, parece absurdo, mas já foi pedido por um cliente… um emkt frente e verso.

Pelo amor de Deus, cliente, não pense que é porque você tem uma agência de propaganda que você não precisa entender do assunto.  Muito pelo contrário, é aí que você precisa conhecer ainda mais.

Calma, não to falando que você tem que saber photoshop, illustrator… não é isso.  Mas você precisa saber o que pedir, como pedir, pra que pedir.

Eu sei, já estive do outro lado, nem todas as empresas querem contratar um gerente de marketing, ou, quando tem, pouquíssimas pensam em contratar alguém de marketing para ocupar o cargo, geralmente sobra para a filha do dono, para uma amiga, um estagiário ou qualquer coisa do tipo (ou, no caso de meu primeiro emprego, para o filho de uma das clientes mais importantes).

Estude, se atualize, saiba falar com sua agência.  Não é porque a agência tem um cara de atendimento, que ele precisa saber (e fazer) tudo.  Ele é só a interface, só o elo de ligação entre a empresa (o que ela quer) e a agência.  E para que ele faça bem seu trabalho, o que a empresa quer precisa estar muito bem definido, desenhado.  É claro que tudo pode mudar, mas, ao menos, dê uma direção para sua agência, mas uma direção de alguém que saiba o que ta falando.

Lembre-se sempre que o resultado virá de acordo com o que você pedir.

É claro que nada disso se aplica a você, porque você já faz tudo isso, já estuda, se atualiza, já entende a sua agência, já a conhece…. mas, fale para aquele seu amigo que não sabe disso, começar a saber.

#tomás

HEIN????

“Se eu tivesse perguntado aos meus consumidores o que eles queriam, eu teria criado um cavalo mais rápido”.   Henry Ford

“Todos os dados de marketing diziam que o produto seria um fracasso, que ninguém compraria.  Mas ele [o fundador Aiko] resolveu bancar a idéia e lançou o Walkman mesmo assim.”  Patrick Withney  (ex-diretor de produto Sony)

“Como é que eu posso perguntar às pessoas como um computador baseado em uma interface gráfica deveria ser quando eles não têm a menor idéia do que seja um computador baseado em interface gráfica?  NInguém jamais viu (tinha visto) algo assim”.  Steve Jobs.

Ok, ok.  Pesquisas para produtos altamente inovadores podem não ser úteis.  Mas a não ser que você tenha o cacife de um dos três aí em cima, por favor, ouça seu consumidor.

_tco

dá pra usar?

Uma pesquisa holandesa descobriu que mais da metade dos produtos devolvidos às lojas com restituição integral do dinheiro estavam em perfeito funcionamento.  Mais da metade. Foram devolvidos pois o usuário não conseguiu usá-lo.

A pesquisa detectou que um consumidor americano médio (aquele que tem um seio e um testículo), passa em média 20 minutos tentando usar um novo aparelho.  Se ele não conseguir irá devolvê-lo.  Agora o mais surpreendente foi que essa pesquisa pediu a vários desenvolvedores de produtos da Philips que levassem alguns produtos para sua casa e descobrissem como eles funcionam.  A maioria não conseguiu usar todas as funções dos aparelhos.

Os desenvolvedores que foram verificar usuários convencionais usando seus produtos ficaram abismados com a confusão que tinham criado.

A conclusão final foi: o produto foi mal concebido no começo, esqueceram-se qual era a função primária do aparelho.

Claro que a culpa é deles -desenvolvedores- foram eles que criaram o produto.  Mas, todavia, porém, contudo … a pressão que eles sofrem dos diretores para que os novos produtos tenham sempre novas funções, sem dúvida ajuda a criar a confusão.

Fica a lição.  Vai criar um produto novo, dê para um adolescente usar antes de lançar.

_tco


o cliente em 2º lugar

Quem me lê com frequência pode achar que eu estou louco (na verdade loucos estão vocês por me lerem com frequência, rs).

Mas é a mais pura verdade.  Colocar o funcionário em primeiro lugar para que este atenda melhor seus clientes, para que estes trabalhem com mais afinco e produzam melhores resultados.  Agora, a pergunta de um milhão de euros. Como fazer isso? Como colocar o funcionário em 1º lugar?

Que tal começar … cumprindo o prometido?  Um dos meus mestres sempre dizia.  O combinado não é caro nem barato.  Se você promete uma coisa para um funcionário, ou se faz um acordo com ele, cumpra.  Pois se não for cumprir, vai ser pior.  O cara ficará desmotivado, não terá mais vontade de trabalhar (ainda mais se o combinado mexer no bolso dele) e, como consequência, seus resultados serão piores.

E a internet está cheia de dicas de como recrutar e reter os melhores funcionários, dê uma procurada.

Você corre o risco, inclusive, de perder tal funcionário.

É o que está acontecendo nesse momento em diversas empresas.  E os concorrentes agradecem.

Quer ter mais clientes?  Cuide do seu funcionário.

_tco

quem compra parafuso é diretor de almoxarifado (tal como visto no coxa creme)

A briga já é antiga sobre esse assunto também.  É um tal negócio de cliente querendo padronizar os preços para que depois possa diminuí-los todos juntos.  E não é só na área de mídia, como está muito bem escrito pelo Cava no Coxa Creme (www.coxacreme.com.br), em todas as áreas de marketing, agências de eventos, de inteligência de mercado, de branding, etc, etc, etc, etc….  

Segue o texto do Cava … mais uma vez, obrigado Cava.

Quem acredita em comunicação não deveria ajudar a transformar este mercado em commodity, por mais que isso economize custos no curto prazo.

A lógica é bem simples, o que se compra na agência é criatividade e estratégia (vulgo planejamento de marca, planejamento de mídia e criação), mas paga-se por outra coisa, a mídia.

É relativamente fácil cobrar da agência para ela diminuir sua margem, basta pagar menos e cobrar a mesma entrega de mídia. Fácil de cobrar pois 30 segundos na emissora tal continuam sendo 30 segundos na mesma emissora.

O problema é que esta margem subsidia as equipes de inteligência da agência, inclusive a inteligência de mídia. Equipes que são punidas com este estrangulamento de margem, afinal, agência não é ONG e também corre atrás do lucro.

É ruim para o anunciante, que continua levando um monte de mídia, mas fazendo o pior uso dela. Justamente o que ele queria evitar ao contratar uma agência.

E pior para o diretor de marketing, que se deseja fazer diferença ou alavancar sua carreira, certamente não será nesta redução de custos.

por que contratar uma agência?

puxa saquismo X profissionalismo

A discussão é velha no mundo da comunicação.   Cliente e agência.  Como deve ser a relação?  -Aliás, não apenas entre cliente e agência, e sim entre todas as profissões que envolvam clientes (até mesmo entre agências e seus fornecedores eu vejo isso acontecendo).

puxa-saco

puxa-saco

O fato é que, de uns anos prá cá (minha história neste mundinho é relativamente curta, pouco menos de 10 anos), vivemos uma forte tendência aonde sai de cena o puxa-saquismo (auqele modelo de relacionamento puro) e entra em voga o do profissinalismo (aonde o cara tem noções de relacionamento, é claro, mas o foco está muito mais no lado profissional, nas soluções oferecidas, nas idéias e até em bater o pé quando o cliente pede porcaria).

É claro que ambos sistemas tem seus lados bons e ruins.  Mas eu, como fui criado no método profissionalismo (afinal, não sou mulher bonita, tampouco tenho mais de 1,80m e seis gomos na barriga) defendo o meu lado e digo espantado uma coisa:  Miutos clientes (com algumas excessões, é claro) ainda preferem o método antigo, mesmo com todos os pontos contra.

O cliente prefere uma pessoa do lado dele o tempo todo, servindo de babá e falando exatamente o que ele quer ouvir, mesmo que isso signifique, no futuro, você vai perder o seu emprego.  O cliente prefere isso a alguém que lhe diz: “pense bem, se você fizer isso as consequências serão essas, ao passo que, se fizer isso, poderá ter isso e isso e isso”.

É claro que a agência de marketing ou comunicação não está sempre certa, o que fazemos é somar nosso expertise ao do cliente, mas ser uma vaquinha de presépio que concorda com tudo e só discorda na hora de amenidades insignifcantes faz muito mal para o cliente… e muitos deles ainda gostam disso.

Calma chefe (sim, o cliente é meu chefe, mais meu chefe que você, Vila), não estou dizendo que você precise aturar gente chata que conteste tudo, mas se o cara concordar com tudo que você fala, das duas uma:  ou você é Deus, ou cara é um m*****.  E, como eu não sou puxa-saco.  Você não é Deus, sinto muito.

_tco