inspiração + transpiração

Não adianta ter idéias maravilhosas, nem ler livros que te ajudem a ficar mais criativos. Todo mundo já é criativo o bastante.

O que falta é a transpiração. Existe uma frase bastante conhecida que diz isso.

40% de inspiração
60% de transpiração

O que você está esperando.  Quem hoje tem sucesso não o tem por causa de suas idéias apenas, e sim pelo que ele fez com elas.

#Tomás

Anúncios

fale agora ou cale-se para sempre

Uma vez traçados os objetivos de um projeto (qualquer projeto), devemos estabelecer as estratégias e o plano de ação. Podemos perder bastante tempo em ter as idéias para atingir esse objetivo e geralmente temos:
a. uma verba disponível
b. um prazo para entrega

O que devemos fazer é eliminar tudo que não presta no começo. Uma sessão de brainstorm ajudará a definir toda estratégia e ações para aquele projeto.

Mas o que, infelizmente, acontece na maioria dos casos é que define-se uma estratégia, trabalha-se em cima dela, vão progredindo e fazendo o trabalho e mais e mais gente vai entrando no projeto.

Até que alguém tem uma idéia melhor do que a inicial, recomeça-se tudo de novo e, certamente, você perderá seu prazo e irá estourar sua verba.

É preciso eliminar tudo no começo. Seguir uma idéia e ir com ela até o final. Para isso, é claro, precisa-se desenvolver um excelente escopo do projeto, precisamos saber quais serão as pessoas envolvidas, fazê-las participar do processo de criação e, uma vez aprovada a estratégia para atingir aquele objetivo, ela não poderá mais ser mudada.

Agora, vai falar isso pro presidente da empresa.

#Tomás

seth godin new video

Vejam esse vídeo, simplesmente fantástico.  Faz a gente pensar, não?

Riddles for linchpins from Seth Godin on Vimeo.

Tomás

olha seu diretor de RH aí

Ninguém retrata tão bem algumas práticas em empresas como o Scott Adams.

alguma dúvida ainda sobre quem é que manda?

Anos atrás isso seria impossível.  Mudar a marca de uma companhia gigantesca por causa de um evento?  Mudar suas cores?

Hoje, com o consumidor no poder do mundo, isso já é permitido e mais, inevitável.

Veja a nova peça criada pela DPZ para o Itaú,.

televisão não perderá espaço, diz deloitte

e o Meio e Mensagem propagou.

Os resultados são um pouco duvidosos, mas não impossíveis de acontecer.  De fato a programação sob demanda demora ainda para implacar (especialmente no Brasil), só os inovadores estão começando a conhecer isso…. Vamos ver quanto tempo.  Mas que, em anos, irá perder espaço, isso vai.

A televisão irá dominar os hábitos das pessoas por anos e anos, e a popularidade de serviços de vídeo sob demanda está sendo superestimada. A conclusão da Deloitte se ampara em um relatório que aponta que os anunciantes não devem perder a fé na efetividade da publicidade em televisão.

Para a empresa, em 2010, a maioria dos consumidores de conteúdo permanecerá com o hábito de se ater aos horários dos programas e não de buscar conteúdos sob demanda, desmentindo o que alguns chamam de “Tirania da Agenda”.

Ainda para o relatório, os índices de audiência da TV não podem ser comparados com o online. “O consumo de televisão é medido por telespectadores. Já as métricas do online incluem Page Views, Unique Users, comentários”, afirmou o texto.

“Os anunciantes não devem aceitar a percepção comum de que a audiência de TV está em declínio há muito tempo. Em alguns mercados maduros, bem como nos em desenvolvimento, a televisão tende a ter uma audiência maior.

Para ele, os serviços de vídeo sob demanda, inclusive, podem encorajar mais consumidores a assistir aos próximos episódios de uma série, por exemplo.

tá explicado porque meu filho ganha de mim nos games

A ciência finalmente explicou porque uma criança de 05 anos ganha do pai em uma partida de futebol no video-game.

Cientistas afirmam ser possível predizer o desempenho de alguém em um game pelo tamanho de certas estruturas cerebrais. Quanto maiores as regiões ligadas ao aprendizado e memória, melhores os resultados. As conclusões de Kirk Erickson, do departamento de psicologia da Universidade de Pittsburgh (EUA), e colegas foram apresentadas no site do periódico “Cerebral Cortex”, uma das publicações da Universidade de Oxford.

Foram recrutados 42 participantes entre 18 e 28 anos. Três desistiram e três resultados foram descartados por erros na ressonância magnética. Concluíram o estudo 36 pessoas, das quais 10 eram do sexo masculino. A tarefa do grupo era jogar um game chamado Space Fortress.

“É realmente a primeira vez que fomos capazes de mostrar que o volume dessas regiões é indicativo de quão rapidamente você pode aprender uma tarefa”, afirmou Erickson ao site LiveScience. A pesquisa focou no estriado, localizado no interior do córtex cerebral. O estriado está envolvido nos processos de aprendizado e memorização, particularmente de tarefas que requerem habilidades motoras.

Ainda que você não tenha tanto interesse assim por games, e/ou nenhuma habilidade para passar da fase 1, os pesquisadores afirmam que há uma possibilidade de que treinamento faça o volume dessas áreas cerebrais crescer – portanto quem não joga nada não precisa desistir.