conversa curiosa….

Orelhudo que sou, escuto a conversa de dois caixas do estacionamento de um shopping aqui em São Paulo.

-Olha essa fila aqui que absurdo, eu quero mais é que todo mundo compre esse tal de sem parar, assim sobra menos trabalho pra gente.

Você acha que eu exagero? Que eu to brincando talvez?  Negativo.  Isso é real e acontece muito mais do que se pode imaginar.  É claro que nem sempre é assim tão escraxado, porém, sempre acontece.  É um tal de neguinho querendo que o cliente não existisse para que ele não tivesse tanto trabalho, se esquecendo de que, não fosse aquele mesmo cliente, ele não teria trabalho algum…

Nem todo mundo fala, mas muita gente pensa, e a gente percebe isso no jeito que eles tratam os clientes, no jeito que eles olham, que tentam ajudá-los.

Quer exemplo melhor?  Ligue para uma call center qualquer.  Não importa do que.  Telefonia, internet, tv a cabo, banco… se bem que banco não conta.. banco não dá, os caras são treinados pra fazer a gente passar raiva.  Mas, enfim, ligue para um call center qualquer que você perceberá.  A grande maioria te trata como um número.  Quer te atender rápido, para te desligar rápido, para que você não encha muito o saco.  Não importa se o teu problema foi resolvido ou não.  Alguns poucos, pouquíssimos, prestam atenção e tentam resolver o teu problema, fazem tudo o que podem, e não se dão por vencidos.

Mas, em homenagem aos outros, aos caixas de estacionamento que torcem pelo sem parar, aqui vai a fotinho do dia.

_tco

Como pedir uma pizza em 2010

Sim. É uma piada, eu sei.  Porém, se olharmos com olhos mais críticos, veremos que não é tão maluca assim.

Como pedir uma pizza em 2010
(Luiz Fernando  Veríssimo)

*  Telefonista: Pizza Hot, boa noite!

* Cliente: Boa noite! Quero encomendar pizzas…

* Telefonista: Pode me dar o seu NIDN?

* Cliente: Sim, o meu número de identificação nacional é 6102-1993-8456-54632107.

* Telefonista: Obrigada, Sr.Lacerda. Seu endereço é Avenida Paes de Barros, 1988 ap. 52 B,

e o número de seu  telefone é 5494-2366, certo?   O telefone do seu escritório da  Lincoln Seguros é o 5745-2302 e o seu celular é 9266-2566.

*Cliente:  Como você conseguiu essas informações todas?

*Telefonista: Nós estamos ligados em rede ao Grande Sistema Central.

*Cliente:  Ah, sim, é verdade! Eu queria encomendar duas pizzas, uma de quatro queijos e outra de calabresa…

*Telefonista: Talvez não seja uma boa idéia…

*Cliente: O quê?

*Telefonista: Consta na  sua ficha médica que o Senhor sofre de hipertensão e tem a taxa de colesterol muito alta.  Além disso, o seu seguro de vida proíbe categoricamente escolhas perigosas para a sua saúde.

*Cliente: É  você tem razão! O que você sugere?

*Telefonista: Por que o Senhor não experimenta a nossa pizza Superlight, com tofu e rabanetes?  O Senhor vai adorar!

*Cliente: Como é que você sabe que vou adorar?

*Telefonista: O Senhor consultou o site ‘Recettes Gourmandes au Soja’ da Biblioteca Municipal, dia 15 de janeiro, às 4h27minh, onde permaneceu conectado à rede durante 39 minutos. Daí a  minha sugestão…

*Cliente: OK está bem! Mande-me duas pizzas  tamanho família!

*Telefonista:  É a escolha certa para o Senhor, sua esposa e seus 4 filhos, pode ter certeza.

*Cliente: Quanto é?

*Telefonista: São R$ 49,99.

*Cliente: Você quer o número do meu cartão de crédito?

*Telefonista: Lamento, mas o Senhor vai ter que pagar em dinheiro. O limite do seu cartão de crédito já foi ultrapassado.

*Cliente: Tudo bem, eu posso ir ao Multibanco sacar dinheiro antes que chegue a pizza.

*Telefonista: Duvido que consiga! O Senhor está com o saldo negativo no  banco.

* Cliente: Meta-se com a sua vida! Mande-me as pizzas que eu arranjo o dinheiro. Quando é que entregam?

*Telefonista: Estamos um pouco atrasados, serão entregues em 45 minutos.  Se o Senhor estiver com muita pressa pode vir buscá-las, se bem que transportar duas pizzas na moto não é aconselhável, além de ser perigoso…

* Cliente: Mas que história é essa, como é que você sabe que eu vou de moto?

*Telefonista: Peço desculpas, mas reparei aqui que o Sr. não pagou as últimas prestações
do carro e ele foi penhorado. Mas a sua moto está paga, e então pensei que fosse utilizá-la.

*Cliente: @#%/§@&?#>§/%#!!!!!!!!!!!!!

*Telefonista: Gostaria de pedir ao Senhor para não me insultar…  Não se esqueça de que o Senhor já foi  condenado em julho de 2006 por desacato em público a um Agente Regional.

*Cliente: (Silêncio)

*Telefonista: Mais alguma coisa?

*Cliente: Não, é só isso… Não, espere… Não se esqueça dos 2 litros de Coca-Cola que constam na promoção.

*Telefonista: Senhor, o regulamento da nossa promoção, conforme citado no artigo 3095423/12, nos proíbe de vender bebidas com açúcar a pessoas diabéticas.

*Cliente: Aaaaaaaahhhhhhhh!!!!!!!!!!!
Vou me atirar pela janela!!!!!

*Telefonista: E machucar o joelho? O Senhor mora no andar térreo!

the small-minded vision of the technology elite

“There is no reason for any individual to have a computer in his home.” Ken Olsen, CEO of DEC

Only 31 years ago. DEC was one of the leading computer companies of the day, but not for long.

Take a look at the geek discussion boards and you’ll see an endless list of sharp-tongued critics, each angling to shoot down one idea or another. And then take a look at the companies that show up at the various pitch shows, and you’ll see one company after another pitching incremental improvements based on current assumptions.

The reason is simple: technologists know how to make things work.

When an engineer has a proven ability to ship stuff, to keep things humming and not crashing, it’s easy to fall into the trap of rejecting anything that hasn’t demonstrated that it can work, that hasn’t proven itself in the market.

Competence is not the same thing as imagination.

PS the marketing elite have precisely the same problem

sem parar parando……

Uma das idéias mais inteligentes que eu vi nos últimos tempos está se mostrando um fisaco total.

O Sem Parar estrada, funciona que é uma beleza,  Vocêe consegue, de fato, passar mais rápido do que todo mundo que não tem o serviço.

Aqui, porém, chegamos a um problema.

Eles precisavam crescer para se manter competitivos.  Resolveram, brilhantemente, entrar dentro das cidades.  Bacana, agora os shoppings tem o serviço também.  Bacana? Será?

Coloquei um no meu carro.  Nas estradas, 100%.  Nos estacionamentos dos shoppings? nota 2.  Ou dá problema para entrar, ou dá problema para sair.  No shopping morumbi o meu cartão tem restrições e ninguém sabe porque.  Me mandam à loja do sem parar no shopping.  Lá eu descubro que não tenho restrições, mas ainda assim, não consigo passar pelo sem parar, pelo menos sem antes, ter que parar.

Outro dia, em um outro shopping, o meu cartão abriu na hora pra mim, porém, na hora de sair, ele não liberava nem a pau.  Ficou uma fila sem tamanho atrás de mim, até que um segurança resolveu liberar minha saída.  Aí eu pergunto:  Será que o sistema do Sem Para sabe que eu já sai do shopping?  Ou ele ainda está me cobrando o estacionamento, que deve ter chegar a uns 15 dias??

De tantas outras pessoas que passam pelo mesmo problema, a fila do sem parar fica maior do que a fila dos carros que tiram cartão, ou seja… quem é que pode passar sem parar?

Chego a ver algumas pessoas, com o tag no carro, parando para retirar o cartão do shopping pois, é mais fácil.  Será que, em breve, teremos uma campanha incentivando a retirada do ticket de estacionamento?

sem parar

sem parar

repare que a fila do sem parar é a da direita

_tco

conheça eduardo, o certinho

O funcionário que não assume riscos sobe rapidamente no frescor da juventude, cabeça aberta, um comportamento agradável e boa aparência irão acelerar sua ascensão.

Seus superiores têm satisfação em promovê-lo porque isso é bom para a imagem deles.

O candidato atinge um patarmar de responsabilidade, algo que não pde ser tratado com indiferença.

Afinal é um gerente, embora júnior.

Seu salário sobre proporcionalmente ao seu status, e não à sua capacidade, e ele atinge o nível de direção.

Chegou a hora de nomear um adjunto, ou um vice-diretor-geral.  Nosso homem é considerado um bom homem da empresa, mas um pouco maçante. Não produz inovação, nada faz pela imagem da empresa.

Existe um jovem muito bom no seu departamento ganhando 1/3 do que ele ganha e que se dá muito bem com os membros mais jovens da companhia.

Nosso homem aos quarenta é posto de lado e aos 47, descartado.

Não atingiu o topo da escada, caiu e não há jeito de subir novamente.

Está acabado e, no entando, nada fez de errado.

Este é o problema.

Ele nada fez de errado.

[[paul arden]]

o marketing e as novelas

Vejam você.  Eu não sabia, fiquei sabendo agora.

Na era do capital (logo depois da era agrícola) que se iniciou após a Revolução Francesa (e bla bla blá), quando o que passou a contar era o dinheiro e não as terras, o pessoal do campo veio para as cidades, trabalhar nas fábricas.  Aí se inicia o marketing. OK, no big deal.  Até aqui tudo bem.  O que me chamou a atenção foi:

As primeiras formas de comunicação naquela época eram folhetos distribuídos nas portas das fábricas aonde os leitores encontravam diversos anúncios de tudo o que eles poderiam precisar (lojas locais).

Para aumentar o interesse do povo, os folhetos começaram a vir com histórias (divididas em capítulos), assim todos esperavam ansiosos o próximo capítulo para saber o desenrolar da história.

Mais de 200 anos após isso, as novelas fazem exatamente a mesma coisa.  As novelas existem por causa das propagandas que passam no intervalo.  Quando inventaram o controle remoto (e as pessoas passaram a trocar de canal nos intervalos) os produtores passaram a colocar os comerciais dentro da novela (merchandising).  Agora que o merchandising tá ficando batido (e um saco, toda hora), lançam a TV Digital aonde o cara pode escolher, e comprar, o vestido que a protagonista utiliza.

Será que a velha frase aonde dizia que nada se cria, é realmente válida?

_tco

tudo depende do ponto de vista

Não existe um ponto de vista certo
Existe um ponto de vista convencional, popular.

Existe um ponto de vista pessoal.

Existe um ponto de vista amplo, que a maioria compartilha.

Existe um ponto de vista insignificante, que apenas poucos compartilham.

Mas, não existe um ponto de vista certo.

Você está sempre certo.

Você está sempre errado.

Depende apenas, de que lado do ponto você está olhando.

Avanços em qualquer campo, se baseiam em pessoas com o ponto de vista insignificante, ou pessoal.

sombra

sombra